domingo, julho 09, 2006

Amor de Pai


Só um grande amor de pai para sair do restaurante da praia no final do prolongamento, quando vai começar o desempate por penalties da Final do Campeonato do Mundo.
Cedi ao pedido de irmos para casa ver (mais um...) filme do Noddy.
Ou é amor de pai, ou um imenso desinteresse pelo resultado deste jogo entre franceses e italianos.
Não torço por uns porque nos eliminaram (já por 3 vezes nos lixaram a vida), não torço pelos outros porque sou geneticamente incapaz de torcer por qualquer equipa italiana.
Venha o Diabo e escolha. Pena é não poderem perder os dois.
E que grande cabeçada do Zidane, hein?!