terça-feira, abril 18, 2006

Entre mãe e filho não se mete a colher

Domingo de manhã. Demasiado cedo ...
- Papá!
- Diz, Vasco. Pai muito ensonado, voz de Deixa-me dormir, puto!
- Quéo o papá ati no mê cátu!
Resolvo dar-lhe a borla (ao pai), depois do empenho demonstrado na noite anterior quando o adormeceu e eu fiquei a ver o Dr. House.
- A mamã vai aí.
- Nã quédo! Quéo o papá!
- Não queres a mamã?!? Então?!?
- Quéo o papá!
- Estás zangado com a mamã?
- Tou!
- Então porquê?!?
- A mamã deu uma palmada no mê rabinho!
- E por isso estás zangado com a mamã, é?
- Xim.
- Está bem. Então ficas aí à espera que o papá acorde. Eu vou tomar o pequeno-almoço.
Sigo para a cozinha e fecho a porta. Ouço-os falar ao longe, sem perceber o que dizem. Penso se não terei exagerado na palmada da noite anterior... O normal, portanto.
- Mamã!
Vou lá, penso. Tenho que agarrar a oportunidade para fazer as pazes, sem no entanto me mostrar muito ansiosa.
- O que queres à mamã?
- Dar beijinhos.
- Ai é?
- Ai é!
Chego-me a ele. Agarra-se a mim e dá-me uns quantos beijinhos. Vou tirá-lo da cama, penso.
- Papá! Já tá!
Ai ele é assim?!? Por encomenda?!? Humpft!

2 Comments:

Blogger LUIS said...

Nem foi uma negociação muito dificil...

quarta-feira, abril 26, 2006 10:28:00 da manhã  
Anonymous ROV said...

E até negociado tem um sabor delicioso. :-))

sexta-feira, abril 28, 2006 1:42:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home